Em um futuro não muito distante, as fazendas e operações agrícolas serão muito diferentes. Graças aos avanços da tecnologia na agricultura, com o suporte de uma série de novas ferramentas sofisticadas, como robôs, sensores de temperatura e umidade, imagens aéreas e tecnologia GPS, a agricultura 4.0 deve ganhar cada vez mais espaço.

A tecnologia no agronegócio deve viabilizar a transformação digital no campo. Com a aplicação de dispositivos avançados e os sistemas robóticos, a tendência é que a agricultura de precisão permita que as fazendas sejam mais lucrativas, eficientes, seguras e ecologicamente corretas

Atualmente, agricultores e pecuaristas já estão usando tecnologia no agronegócio para cultivar mais safras e criar mais animais em menos terra, controlar pragas e doenças e usar dados para tomar decisões melhores e mais rápidas.

Neste artigo, vamos mostrar a importância da tecnologia na agricultura e quais as tendências que estão transformando o setor.

Continue lendo o artigo!

Qual a importância da tecnologia na agricultura?

Depois da quarta revolução industrial, caracterizada por um conjunto de tecnologias que permitem a fusão do mundo físico, digital e biológico, com potencial de gerar um impacto profundo e exponencial, chegou a vez de ver esse movimento acontecer no campo. 

É a era da Agricultura 4.0! Trata-se de um conjunto de tecnologias digitais integradas e conectadas por meio de softwares, sistemas e equipamentos. Ou seja, é quase um paralelo da Indústria 4.0, aplicada apenas ao agronegócio

A agricultura 4.0 é orientada por uma série de pilares de avanço tecnológico, como:

  • Big Data e Analytics;
  • automação de robôs;
  • simulação;
  • dispositivos e sensores de IoT;
  • integração de sistemas;
  • segurança cibernética;
  • nuvem;
  • alta conectividade. 

Na prática, esse movimento de adesão ao uso da tecnologia na agricultura viabiliza um melhor monitoramento da produção no campo, desde o planejamento até a colheita e entrega. 

A partir do uso de dados instantâneos coletados e armazenados em cada etapa da produção, é possível obter um gerenciamento assertivo, pautado pelos dados armazenados na nuvem.

Além disso, o produtor também passa a ter um controle mais preciso, orientado pela vinculação de todas as informações relacionadas à produção. 

Como resultado, as novas práticas de gestão e acompanhamento otimizam o controle financeiro e logístico de toda a produção agrícola, muito semelhante a um processo industrial.

Quais os benefícios do uso da tecnologia no agronegócio? 

A Agricultura 4.0 tem muito a ganhar ao se basear em muitos dos fatores já estabelecidos pela Indústria 4.0. 

Agricultura de precisão, dados da nuvem, análises complexas e rápidas, entre muitas outras tecnologias, são algumas das possibilidades trazidas pela combinação de agricultura e tecnologia.

Esse movimento de digitalização das etapas de produção do campo pode trazer uma série de benefícios para agricultores e pecuaristas. Veja alguns dos ganhos esperados com o uso de tecnologia na agricultura:

  • Gestão aprimorada da propriedade;
  • Permite monitoramento de dados em tempo real
  • Maior confiabilidade e segurança;
  • Maior eficiência energética;
  • Otimização de custos de produção agrícola;
  • Controle remoto da fazenda;
  • Aumento de produtividade;
  • Melhoria da sustentabilidade do negócio.

6 principais tendências de agricultura e tecnologia 

Para fazer acontecer a digitalização dos processos no campo, os agricultores e pecuaristas vêm investindo em uma série de novas ferramentas. A combinação de agricultura e tecnologia é fundamental para a Agricultura 4.0, que potencializa a produtividade e a rentabilidade do negócio.

A seguir, conheça as novas soluções e entenda o uso da tecnologia na agricultura: 

1- Agricultura de Precisão: uso de drones

Os drones 5G na agricultura podem aumentar muito a produtividade das explorações agrícolas, ao mesmo tempo que reduzem os custos com pesticidas, perdas de colheitas e o tempo gasto a inspecionar uma plantação.

Os dados brutos recolhidos pelos drones são transformados em informações úteis e compreensíveis para os agricultores, aumentando a produtividade e a eficiência, como a detecção de pragas e doenças com base em alta resolução, preferencialmente em imagens e vídeos coletados.

Uma vez que um sistema confiável para pragas e doenças esteja disponível, a aplicação dos fertilizantes e pesticidas podem ser otimizados, permitindo assim ao agricultor economizar significativamente os custos operacionais.

 O 5G, a nuvem e IA irão melhorar a eficiência e encurtar o tempo de inspeção de plantios de 1 semana para 1 hora, a análise precisa das áreas contaminadas, trazendo uma redução do uso de defensivos em até 90%.

2- Inteligência artificial (IA)

Enquanto a tecnologia permite monitorar aspectos importantes, como as condições do solo, o uso da água e o clima, a inteligência artificial (IA) está tornando mais fácil usar esses dados para tomar decisões.

Geralmente, o agricultor se depara com uma série de questões na gestão da propriedade e da produção:

  • Quais safras semear em quais campos este ano? 
  • O que usar para controlar as pragas e quando? 
  • Como eliminar doenças em plantações e animais?

Atualmente, graças ao uso da tecnologia na agricultura, o produtor já pode contar até mesmo com o auxílio de robôs (bots) com habilidades de IA.

Eles são capazes de identificar sinais de doenças em vastos campos de plantações ou em rebanhos de gado e porcos mais cedo do que as pessoas, ajudando a reduzir os danos causados.

Além disso, a capacidade da IA ​​de criar modelos de previsão sazonal pode ajudar os agricultores a tomar decisões valiosas sobre safras e plantio com antecedência.

Isso porque a inteligência artificial tem capacidade preditiva no que tange à previsão do clima, antecipando possíveis cenários. Esse tipo de previsão pode, inclusive, orientar o agricultor e aumentar a produtividade das lavouras

3- Blockchain

Dada a sua capacidade de gerar informação confiável que não permite alteração, o blockchain tem sido adotado também na indústria agrícola.

Esse tipo de tecnologia no agronegócio tem sido usado para rastrear alimentos em toda a cadeia de abastecimento. Desse modo, as lojas conseguem rastrear um único pedaço de alimento até sua origem em segundos, em vez de dias. 

Assim, cadeias de suprimentos contaminadas podem ser identificadas rapidamente. Os produtos afetados são retirados de circulação antes que causem doenças ou morte, enquanto os demais produtos podem ser vendidos sem medo.

4- RFID

A tecnologia no agronegócio também é usada para garantir mais segurança para os consumidores em relação aos produtos.

A identificação por radiofrequência (RFID) é uma tecnologia aplicada em conjunto com o blockchain para tornar o rastreamento da cadeia de suprimentos uma realidade. Os sensores RFID podem marcar culturas e animais, dando a cada um um número de identificação único.

Seja para auxiliar as mercearias no rastreamento de produtos contaminados, seja para confirmar ao cliente a procedência dos alimentos cultivados por produtores agrícolas com práticas sustentáveis, a RFID é a base do rastreamento da cadeia de suprimentos

As informações coletadas por essa tecnologia na agricultura são usadas pelo blockchain para criar uma trilha segura e confiável. Agricultores e pecuaristas podem ter mais certeza de que seus produtos são seguros para os consumidores.

5- Sensores de Internet das Coisas (IoT)

Os sensores IoT estão gerando um grande impacto na agricultura. Os produtores podem colocá-los em seus campos para monitorar as colheitas remotamente ou, então, usá-los para rastrear a saúde de seus animais. 

Além disso, é possível colocar sensores nos equipamentos para monitorar a saúde de cada máquina, antecipar a manutenção sempre que preciso e, assim, reduzir o tempo de inatividade.  

A IA e os bots, citados anteriormente, aproveitam os sensores de IoT para obter os dados necessários para tomar decisões e agir ou alertar os produtores para fazê-lo. 

6- Edge Analytics

A Internet das Coisas (IoT), baseada no uso de objetos conectados que podem realizar tarefas ou coletar dados por meio de sensores, tem sido um dos grandes focos de desenvolvimento de tecnologia no agronegócio.

No entanto, já é possível observar uma tendência de maior especialização na Internet das Coisas, indo além dos sensores, detecção de eventos e envio de dados para um servidor. O Edge Analytics é uma dessas especializações em IoT.

De forma prática, o Edge Analytics analisa os dados coletados de sensores ou equipamentos IoT. Assim, os dispositivos IoT não mais simplesmente monitoram e enviam dados para uma central onde o processamento é executado. 

O Edge Analytics executa a coleta, análise e processamento de dados no próprio sensor (com base em dados de IoT, por exemplo) e a tomada de decisões na borda, ou seja, dentro do equipamento físico que gerou os dados.

No campo, o Edge Analytics pode ser usado em equipamentos de irrigação. A partir do recebimento de dados de sensores IoT com software embutido, o aparelho toma a decisão de irrigar o trecho detectado ou não localmente.

O mesmo tipo de mecanismo pode ser aplicado para herbicidas. Ou seja, a decisão de pulverizá-lo ou não passa a ser orientada pela análise realizada nos dispositivos.

Huawei leva automação de processos para o campo

A Huawei promove a automação de processos para o segmento do agronegócio.

No Brasil, problemas reais do agronegócio têm sido resolvidos por grandes empresas com uma abordagem digital. 

No campo, a operação autônoma promete trazer uma série de ganhos para o produtor: desde a redução de custos, passando pela otimização de recursos até o maior controle da produção. 

Sabendo do potencial do uso da tecnologia no agronegócio, a Huawei, em parceria com o CEAGRE (Centro de Agricultura Exponencial), testaram o Smart Drones de Precisão Agrícola e Smart Rover para Transporte Autônomo.

Smart Drones de Precisão Agrícola

O Smart Drones de Precisão Agrícola é uma solução para produtores rurais e consultores de agricultura de precisão para operar drones, enviando imagens e vídeos em tempo real via 5G com processamento em nuvem para análises com uso de Inteligência Artificial.

Smart Rover para Transporte Autônomo

A Smart Rover para Transporte Autônomo com o recebimento de instruções por meio de aplicação alocada na Cloud da Huawei, possibilita percorrer trajetos ou planos de rota com reconhecimento de obstáculos e transmissão em tempo real de imagens em 360º do caminho percorrido.

Desafios do uso de tecnologias no agronegócio

A adoção da tecnologia no agronegócio é uma tendência irreversível. A cada ano, novos usos da tecnologia na agricultura são definidos e, com isso, os desafios também se renovam. 

A implementação de tecnologia na agricultura brasileira nunca foi tão rápida como atualmente. Certamente, os maiores avanços em tecnologia estão sendo alavancados pelas empresas e produtores mais qualificados. 

Agora, o desafio é incentivar e viabilizar o uso da tecnologia na agricultura entre médios e pequenos produtores também, levando as soluções para outras propriedades conectadas. 

O movimento de transformação digital da agricultura é decisivo para auxiliar no aumento da qualidade e produtividade no campo. A indústria agrícola precisa repensar processos e modelos de negócios para fornecer maior valor, construindo um agronegócio mais competitivo e bem-sucedido.

Agora que você já sabe a importância da tecnologia na agricultura, aproveite para conhecer as soluções que a Huawei tem para seu negócio. 

Este artigo foi útil?

Obrigado pela avaliação!

Sim Não

Escrito por:

Tiago Rossi

Executivo de tecnologia e de marketing, com mais de 20 anos de experiência no setor de telecomunicações e experiência internacional. Formado pela UNISAL (Campinas), com pós graduação, MBA em Gerenciamento Estratégico de Negócios pela FAC e MBA Executivo em Economia e Gerenciamento Estratégico de Negócios pela FGV. Tiago agora está à frente da Diretoria de Marketing Estratégico e Ecossistema da Huawei, para as verticais de Agricultura, Mineração, Logística/Warehouse e Radiofusão.

Executivo de tecnologia e de marketing, com mais de 20 anos de experiência no setor de telecomunicações e experiência internacional. Formado pela UNISAL (Campinas), com pós graduação, MBA em Gerenciamento Estratégico de Negócios pela FAC e MBA Executivo em Economia e Gerenciamento Estratégico de Negócios pela FGV. Tiago agora está à frente da Diretoria de Marketing Estratégico e Ecossistema da Huawei, para as verticais de Agricultura, Mineração, Logística/Warehouse e Radiofusão.

Deixe seu comentário

Nome * Campo Obrigatório
E-mail * Campo Obrigatório * E-mail Inválido