Neste post, vamos abordar as principais desinformações publicadas a respeito do 5G e, também, destacar o trabalho incansável da Huawei a respeito de cibersegurança com essa tecnologia tão recente, cheia de possibilidades e que é a mais segura atualmente.

Segurança digital é um assunto primordial para todos nós, afinal, vivemos em uma época na qual as informações e os dados se tornaram um dos ativos mais valiosos. É por isso que estamos tão focados na privacidade de dados e de informações pessoais. Ataques cibernéticos são uma ameaça potencial para todos, com vírus e phishing sendo capazes de invadir e prejudicar dispositivos móveis individuais, empresas e governos inteiros. Portanto, é fundamental para nós, nos concentrarmos no desenvolvimento e na produção de tecnologias seguras!

  1. Uma nova abordagem à Segurança Cibernética e Nacional

Imagine que a segurança da informação é igual a uma cebola: composta por diversas camadas. E tudo aquilo que muitas pessoas conhecem a respeito do 5G e de outras tecnologias é, na verdade, apenas uma camada. Talvez, a mais exterior dela.

Acontece que, por baixo dela, são ignorados diversos elementos fundamentais, como patentes, regulamentos, leis, diretrizes, estratégias cibernéticas, processos, procedimentos operacionais padrão, práticas recomendadas e diplomacia cibernética. E, além de importante, isso tudo é desafiador.

Com isso, um dos objetivos da Huawei é fornecer uma abordagem nova para a segurança cibernética e garantir a soberania digital nacional. Para tanto, são cumpridas legislações nacionais e por meio de uma atitude responsável em relação ao contexto legal de segurança — algo que todo fornecedor de rede 5G tem a responsabilidade de fazer.


Não à toa, a Huawei se tornou a primeira fornecedora a ser aprovada na auditoria NESAS para equipamentos de rede sem fio e de núcleo 5G.

E ainda tem mais: o equipamento 5G da Huawei permite que cada nação use seu próprio algoritmo de criptografia, cujas chaves não estão disponíveis para a Huawei, terceiros ou outros governos — com exceção feita às operadoras locais, que têm permissão para realizar a descriptografia quando legalmente exigidas. Ou seja: a Huawei não tem acesso aos dados que trafegam através dos equipamentos concedidos pela empresa. A ideia central aqui, consiste em apoiar a soberania dos dados nacionais de cada país.

  1. A importância dos padrões na Segurança Cibernética

A Huawei sempre se posicionou como uma defensora dos padrões de segurança cibernética globalmente reconhecidos e aceitos. Além disso, acredita que a confiança deve ser baseada em fatos — e, esses, devem ser verificáveis — e a verificação deve ser baseada em padrões comuns a todos. 

Com base nas práticas da indústria, a certificação é a maneira mais eficaz de resolver problemas de segurança. A certificação é a verificação de que todos os dispositivos, estejam onde estiverem, leiam os padrões da mesma maneira. Assim, é garantida a interoperabilidade. 

O que também significa que equipamentos de diferentes fornecedores podem funcionar perfeitamente quando usados juntos.

E o que a Huawei fez nesse sentido?

  • Estabeleceu um sistema de gestão de sustentabilidade com base nos padrões da International Standards Organization (ISO) e passou na certificação de terceiros para garantir que os processos de P&D e produção sejam confiáveis;
  • Definiu um sistema de gestão de segurança da informação com base nos padrões da série ISO27000 e obteve a certificação ISO 27001;
  • Implementou um sistema de gestão da segurança da cadeia de abastecimento baseado nas normas ISO 28000, bem como nos requisitos TAPA e C-TPAT;
  • Passou na certificação ISO 28000 (Centro de Abastecimento Chinês, Centro Europeu de Abastecimento e Centro de Abastecimento Mexicano);
  • Obteve a adesão C-TPAT;
  • Otimizou o desenvolvimento e as práticas de gerenciamento da cadeia de suprimentos, referindo-se ao Padrão de Fornecedor de Tecnologia Confiável Aberta (OTTPS) e conduzindo a certificação OTTPS;
  • Incorporou padrões e requisitos de certificação de segurança cibernética internacionalmente reconhecidos, como CC e FIPS, em P&D de produtos.

Vale destacar, ainda, que a Huawei convidou proativamente laboratórios terceirizados para certificar os nossos produtos. Em abril de 2019, já havíamos obtido 242 certificados de segurança de produtos, incluindo 43 certificados CC, 6 certificados CC EAL4 +, 20 certificados FIPS e 15 certificados PCI.

  1. Desafios da Segurança 5G

A tecnologia 5G enfrenta desafios de segurança devido à chegada de novos serviços, arquiteturas e tecnologias, bem como em decorrência dos requisitos mais elevados de privacidade e proteção do usuário.

No entanto, o 5G é o padrão de telecomunicações mais seguro que a indústria desenvolveu até hoje. 3GPP SA3, por exemplo, analisou ameaças e riscos que o 5G pode causar em 17 áreas de segurança, incluindo:

  • Arquitetura de segurança, autenticação, contexto de segurança e gerenciamento de chaves;
  • Segurança de rede de acesso de rádio (RAN);
  • Segurança NG-UE;
  • Autorização;
  • Privacidade da assinatura;
  • Segurança de divisão de rede;
  • Segurança de retransmissão;
  • Segurança de domínio de rede;
  • Visibilidade e configurabilidade da segurança;
  • Provisionamento de credenciais, interoperação e migração;
  • Dados pequenos, segurança de broadcast/multicast, segurança de gerenciamento e algoritmos criptográficos.

Os ativos associados às redes sem fio, recursos de computação, contas, senhas, logs, configurações e registros de dados de cobrança (CDRs) são operados e mantidos por operadoras, não por fornecedores de equipamentos.

Os hackers atacam as redes Wi-Fi na tentativa de roubar e adulterar os dados dos usuários ou comprometer a disponibilidade de redes ou recursos de computação. Por isso, a solução é que os fornecedores trabalhem em conjunto com as operadoras para tornar esses ataques mais difíceis com a implementação das especificações 3GPP. 

Por exemplo: o Protocolo de Convergência de Dados de Pacote (PDCP) pode ser usado para a interface aérea e IPsec para que a transmissão garanta a confidencialidade e integridade dos dados dos usuários.

A Huawei tem um whitepaper (em inglês. Link aqui) que aborda os padrões da indústria, o trabalho da própria Huawei nesse contexto e os esforços conjuntos de parceiros a respeito da segurança 5G.

Neste artigo que você pode conferir no link acima, são abordados os seguintes assuntos:

  • Por que o 5G é seguro? Como os especialistas garantem que os riscos de segurança proporcionados pelo 5G possam ser gerenciados de forma eficaz em termos de protocolos e padrões de segurança?
  • Por que o 5G da Huawei é seguro? Que abordagens técnicas foram abordadas para garantir a segurança cibernética dos equipamentos fornecidos pela Huawei?
  • Como podemos garantir a segurança cibernética com o 5G? Isso inclui o suporte da Huawei para resiliência cibernética e recomendações para implantar e operar redes 5G de maneira segura.
  • Como podemos melhorar continuamente o nível de segurança 5G a partir das perspectivas de diferentes partes interessadas para enfrentar os desafios futuros?
  • Por que as partes devem trabalhar juntas para garantir que os riscos de segurança 5G sejam controláveis?
  • Acreditamos na independência digital e igualdade de condições para todos os players do mercado. Para isso, é fundamental basear a segurança e a privacidade em padrões rígidos.

A segurança é uma jornada, não um destino — uma jornada que estamos prontos para percorrer com organizações e nações!

Este artigo foi útil?

Obrigado pela avaliação!

Sim Não

Escrito por:

Marketing Huawei

Comentários

  • Antonio Roberto Alves Garcia

    17 de jun de 2021 | 17:58

    A contra informação é a arma dos detratores para causar pânico dentre os menos avisados para colocarem o progresso em descompasso com a realidade tecnológica em que nos encontramos situados. A previsão do 5G para o Brasil é de que estará ativo em junho de 2.022 , segundo o ministro das Comunicação Fabio Faria. Devemos nos mirar na evolução mundial que caminha a passos galopantes, onde vamos ter a implantação do 6G com velocidade de 28 GHz no final deste mês (junho de 2021) no Japão.

Deixe seu comentário

Nome * Campo Obrigatório
E-mail * Campo Obrigatório * E-mail Inválido