Quase quatro anos atrás — em junho de 2017 — a Huawei lançou a sua solução de nuvem pública na China. À época que a Huawei Cloud foi lançada, o mercado de nuvem pública da China acabava de ultrapassar US$1 bilhão.

Nos anos seguintes, o mercado de infraestrutura de nuvem pública da China cresceu cerca de 800% — de US$1 bilhão para US$3,9 bilhões registrados no primeiro trimestre de 2020. Em parte, graças aos esforços dos líderes de tecnologia na China, BAT e Huawei. 

Basta ver como a Huawei Cloud também se desenvolveu nesse período e ganhou participação a ponto de se tornar a segunda nuvem pública de maior destaque no país. E é por conta desse crescimento significativo que vamos aproveitar a oportunidade para refletir sobre algumas tendências importantes na computação em nuvem e também os efeitos da COVID-19 na utilização dessa tecnologia

COVID-19 e a aceleração das tendências digitais

A COVID-19 tem sido uma praga terrível para o mundo, infligindo sofrimento às pessoas e uma série de dificuldades econômicas. À medida que as pessoas ficaram em casa, as interações online também foram transformadas e o uso de serviços e conexões digitais aumentou drasticamente.

É claro que, no geral, muitas atividades online já aconteciam. Mas o aumento exponencial se deveu, recentemente, aos impactos da pandemia associado a outros elementos, como os dispositivos móveis — caso dos smartphones, por exemplo.

E mesmo com todos esses serviços digitais, o gasto total da China em infraestrutura de nuvem pública ainda é relativamente pequeno, tanto para o tamanho de sua economia quanto quando comparado com outros mercados. Portanto, é notável que, mesmo na China, a COVID-19 trouxe um aumento tão dramático nos gastos com serviços de computação em nuvem.

Conforme evidenciado por um aumento de 67% nos gastos com nuvem no primeiro trimestre contra uma grande desaceleração global, a COVID-19 mostrou às empresas chinesas que em tempos de necessidade abrupta, apenas a nuvem pode realmente fornecer a escala, agilidade e profundidade de serviços exigidas. Assim, mesmo após a crise sanitária chegar ao fim, a aceleração em direção à nuvem na China continuará.

A evolução das indústrias globais da nuvem

À medida que a China e o mundo aceleram a adoção da nuvem, como será isso? Regiões diferentes evoluirão de maneiras distintas, mas compartilharão muitas características. Por exemplo, considere a China e a Europa.

China e a nova infraestrutura

Para ajudar a resolver as consequências econômicas da COVID-19, o governo chinês anunciou a aceleração de um plano de investimento de vários trilhões de yuans para a Nova Infraestrutura, cujo objetivo é fornecer conectividade e computação ubíquas e de alta qualidade. 

As tecnologias e setores de destino para os gastos com nova infraestrutura incluem nuvem, IA, 5G, blockchain e internet industrial. Portanto, a pandemia não apenas trouxe um pico no consumo de nuvem enquanto todos estavam em casa, mas também estimulou um investimento massivo em todo o país em tecnologias digitais. Isso, por sua vez, só acelerará ainda mais a adoção de serviços em nuvem na China.

Europa e soberania digital

Assim como a China, a Comissão Europeia introduziu recentemente um enorme plano de estímulo de 750 bilhões de euros para lidar com as consequências da COVID-19, Next Generation EU. E, como acontece com a Nova Infraestrutura da China, a Próxima Geração da UE apela a grandes gastos em projetos de fortalecimento para a era digital:

  • mais e melhor conectividade, especialmente na rápida implantação de redes 5G;
  • presença industrial e tecnológica mais forte em setores estratégicos, incluindo inteligência artificial, cibersegurança, supercomputação e nuvem;
    construção de uma economia real de dados como motor de inovação e criação de empregos;
  • maior resiliência cibernética.

No entanto, à medida que a Europa investe nas tecnologias, também o faz com interesse na soberania digital. E assim, o GAIA-X — , um projeto para construir uma infraestrutura digital federada para a Europa —  anunciou oficialmente sua nova fundação europeia:

Com o GAIA-X, representantes da política, negócios e ciência da França e da Alemanha, juntamente com outros parceiros europeus, criam uma proposta para a próxima geração de uma infraestrutura de dados para a Europa: um sistema federado seguro que atende aos mais altos padrões de soberania digital ao mesmo tempo em que promove a inovação digital. 

Esse projeto é o berço de um ecossistema digital aberto e transparente em que dados e serviços podem ser disponibilizados, coletados e compartilhados em um ambiente confiável.

Infraestrutura de dados: a EU e o GAIA-X

De acordo com um estudo recente do Gartner, a taxa de adoção da nuvem pública para muitos países europeus é semelhante à da China e também fica atrás de muitos outros mercados.
Com projetos como Next Generation EU e GAIA-X, no entanto, a adoção europeia de tecnologias digitais e em nuvem deve acelerar rapidamente nos próximos anos. E, assim como na China e em todo o mundo, esperamos compartilhar nossa experiência e conhecimento e trabalhar juntos de forma aberta e segura para construir a próxima geração de serviços digitais.

O papel da Huawei na transformação digital

É assim que vemos o negócio proposto pelo Huawei Cloud!

Hardware aberto

A Huawei acredita que, à medida que avançamos em direção aos serviços em nuvem da próxima geração, IA, eficiência energética, computação de ponta e muitos fatores adicionais levarão a nuvem a arquiteturas heterogêneas. Para dar ainda mais suporte a isso, a Huawei oferece uma variedade de chipsets avançados e otimizados para diferentes tipos de uso, incluindo CPU x86, CPU Arm, GPU, NPU etc.

Ao contrário de outros provedores de nuvem, porém, compartilhamos nosso hardware e chipsets abertamente com fornecedores para implementar seus próprios sistemas e nuvens. Não os restringimos apenas ao Huawei Cloud.

Software livre

Huawei Cloud é baseado em software de código aberto. De OpenStack na camada IaaS a Kubernetes e outros projetos CNCF no contêiner e camada PaaS a projetos como nossa própria estrutura de IA de código aberto MindSpore para serviços inovadores, Huawei Cloud é indiscutivelmente a nuvem mais aberta do setor.

Inovação aberta e colaborativa

A Huawei não está apenas consumindo software de código aberto. Na verdade, somos um membro de alto nível e um contribuidor principal em todas as principais fundações e projetos de software livre, incluindo Linux Foundation, CNCF, OpenStack Foundation, Apache Foundation e Eclipse Foundation. 

É participando profundamente do ecossistema de código aberto que somos capazes de trazer inovações tão rápidas para o mercado e crescer a uma taxa tão alta.

Não é apenas em comunidades de código aberto que colaboramos com outras pessoas. É por isso que temos um grande foco em parceiros na Huawei Cloud e procuramos permitir que eles também tenham sucesso. Quando eles se saem bem, nossos clientes se saem bem e todos nós saímos bem juntos.

Para recuperação compartilhada e triunfo

Esperamos que, durante esse período de profundos problemas, um espírito de inovação aberta e colaborativa possa ajudar para que trabalhemos, todos, juntos para nossa recuperação imediata. 

A computação em nuvem funciona porque compartilha recursos entre muitos usuários diferentes. A Huawei Cloud teve sucesso porque compartilhamos o desenvolvimento aberto e os benefícios da nuvem.

Europa, China e o mundo terão caminhos diferentes para sair de nossa situação atual. Mas os próximos três anos vão ditar as grandes mudanças, sem dúvidas.

Este artigo foi útil?

Obrigado pela avaliação!

Sim Não

Escrito por:

Marketing Huawei

Deixe seu comentário

Nome * Campo Obrigatório
E-mail * Campo Obrigatório * E-mail Inválido